segunda-feira, maio 07, 2012

A tal Reciclagem

Sobre aquecimento global, derretimento das geleiras, frio e calor fora de época, chuvas que alagam em pleno inverno e toda a maluquice que a natureza vem vivendo desde que me entendo por gente, só sei o que ouço e leio. Ouço nos telejornais e leio - muito mais - em jornais, revistas e sites especializados. Não é um assunto pelo qual eu me interesse a ponto de buscar informações e procurar novidades. E confesso que deveria me interessar mais...
O caso nao é este.
Noite dessas, sem sono, assisti ao programa do Jô. A entrevista era com o professor de climatologia da USP e doutor sobre a Antártida, Ricardo Augusto Felício, que afirmou com todas as letras: “o aquecimento global é uma mentira”. Segundo ele, não existem provas científicas desse fenômeno.
Sim, querem confundir a minha cabeça. Todos os dias o universo se une em conspiração para que eu me confunda ainda mais.
Como assim, um professor de uma instituição de ensino como a USP aparece em um programa de TV e diz que tudo o que todo mundo já falou e já ouviu sobre aquecimento global é mentira? É, e ele disse.
Ta tudo aqui.
Pra mim, que já não me interessava tanto quanto deveria (ou achava que deveria) pelo assunto, tudo é muito confuso. Porque mesmo me interessando pouco, eu sofro com as técnicas de silêncio adotadas pela administração da minha cidade quanto à coleta seletiva. E eu explico: há algum tempo eu perco alguns minutos do meu dia separando o lixo que produzimos em casa. Passei a fazer isso quando morava com meus pais. Porém, após determinado período e a interrupção no contrato entre a prefeitura e a empresa responsável, então, pela coleta, eu fiquei completamente perdida: não havia mais coleta seletiva. Eu me esforçava pra separar e o mesmo caminhão recolhia tudo. E isso aconteceu tantas vezes que desisti: juntava tudo no mesmo saco.
E assim os meses foram se passando. Na minha casinha nova também. Nada de juntar nada. Não queria ver meu trabalho jogado fora. Perguntei várias vezes aos garis do caminhão da coleta simples sobre a coleta seletiva e eles diziam que não sabiam como era feita. Sim, disseram isso a mim.
Até que na semana passada eu "esbarrei" com um caminhão da coleta seletiva e praticamente pedi socorro! Fiquei no meio da rua, fazendo sinal ao motorista, pedindo que parasse. Talvez ele tenha parado mesmo, pra não me atropelar. E valeu a pena.
Descobri que o caminhão passa em frente à minha casa às sextas-feiras. E ganhei três sacos transparentes, pra eu acomodar os resíduos sólidos que produzimos lá em casa.
É, de fato eu não me interesso por notícias ou novidades sobre aquecimento global e destinação de lixo, mas fiz o que meio mundo nunca fez: busquei informações (e obtive!) sobre a coleta seletiva na minha cidade. O problema é que depois da entrevista com o Doutor Ricardo Felício, to pensando em, novamente, esquecer este negócio de separar meu lixo.
Não tem aquecimento global mesmo... bora fazer a festa!

Um comentário:

Giovana Damaceno disse...

Há uma corrente de cientistas que afirma que o aquecimento global não é nada de novo. Trata-se, segundo este pessoal, de mais uma mudança pela qual a Terra passa, entre tantas outras pelas quais passou.
Quanto à coleta seletiva, mantenho a minha lá em casa, firme e forte. Já me acostumei com isso.
Beijão e saudades.