quinta-feira, setembro 28, 2017

As novidades

Tanto tempo

Pois é... parece piada, mas não é. Depois de tanto tempo sem aparecer, confesso que cheguei a pensar que este brog estaria aposentado. Então, como uma providência divina, alguns dias antes do meu aniversário, Devan chega com um laptop todinho pra mim. Siiiiim! Meu sumiço se deveu, principalmene, ao fato de que escrever postagens pelo ipad não é a coisa mais agradável do mundo. Claro que eu ando sem tempo também (e sobre isso eu falo já já), mas estava mesmo era sem ânimo. E pra comemorar mais uma volta, vamos às novidades mais importantes (até porque não vou dar conta de falar de todas).

Mudança

Como a maior novidade de todas foi e está sendo a nossa mudança do Brasil, a primeira nota tinha que ser a este respeito. Desde novembro do ano passado, estamos vivendo nos Estados Unidos. São quase doze meses de uma experiência incrível, enriquecedora, gratificante e que nos está fazendo um bem enorme. Graças a Deus tudo está correndo muito bem.

Adaptação

Todos nós precisamos nos adaptar a uma mudança, ainda mais a uma tão grande. Só que pra Aurora, a adaptação foi muito difícil. Ela parou de comer, passou a acordar seis vezes durante a noite e, pra piorar tudo, chegamos aqui no auge do inverno, ou seja, ela passou vários meses indo pouco à rua, vendo poucas pessoas. Só quando chegou o verão, as coisas melhoraram. Demorou, mas tudo entrou nos eixos. Hoje, Aurora já dorme a noite inteira, come bem, está completamente adaptada e, muito recentemente, abandonou a amamentação. Agora, não mama mais no peito. É praticamente uma mocinha!

Frio

Nossa maior dificuldade, sem dúvida nenhuma, foi o frio. Como disse, chegamos aqui em pleno inverno. Aliás, pleno não. Um pouquinho antes de toda sua plenitude, porque ele começou pra valer mesmo, em dezembro. Mesmo assim não foi fácil. O frio, eu aprendi, é muito pior do que tudo o que eu já tinha sentido e imaginado. E mesmo assim, eu ainda gusto dele. E aqui, embora faça muito frio (mesmo, de verdade), a gente acaba sentindo menos do que no Brasil. Por que? Porque aqui, em todo lugar, há aquecedores. Todo lugar: comércio, bancos e casas. Todas. Carros também. Então, frio, de fato, só quando estamos na rua, andando. Mesmo assim, não foi fácil. A parte boa é que, sete meses depois que começa, o frio acaba.



Verão

Lá pelo meio de abril deste ano, nevou pela última vez. Se não me engano, no dia 16. Depois disso, mais alguns dias de frio, e algumas semanas de preparação para o verão. Os dias quentes chegaram, com força mesmo, só no final de maio, começo de junho. Aí foi só alegria. Sorvete, tardes inteiras no parque, banho na piscina da prima Rachel, praia e muita diversão. E, diferente da demora que levou pra chegar, rapidamente o verão acabou. E agora estamos no outono. As temperaturas ainda ficam na casa dos 25 ou 26 graus, o que é quente... mas a contagem para o frio já está regressiva. No ano passado, já fazia frio na primeira semana de outubro.... vamos ver o que nos aguarda nas próximas semanas.


Dificuldades

Quem acha que só o frio e o idioma são barreiras "citáveis", eu esclareço: não é. Há outras. Pra mim, manicure. Meus queridos três leitores (se é que depois de tanto tempo eles ainda querem "me" ler) sabem como eu amo (ou amava) as minhas unhas feitas. Meu Deus! Jamais imaginei que seria tão difícil encontrar este serviço por aqui. Claro que tem, aos montes. Brasilerias, americanas, portuguesas, hispanas. Só que, pra mim, não basta ser manicure. Tem que fazer o serviço bem feito. porque sou um pouco exigente. Aí, depois de algumas tentativas, eu acabei desistindo. Em vez de sofrer, pagando 25 ou 30 dólares, eu guardo a grana e faço eu mesma as minhas unhas. Fútil essa reclamação? Pode ser pra alguns. Pra mim, não é.

Quer empadão?

Sempre amei empadão. De verdade. Desde que me lembro por gente, faço empadão. E como cheguei aqui sem conhecer muita gente e sem muita disposição pra deixar a Aurora com uma babá pra eu trabalhar, precisava arranjar alguma coisa pra fazer, sem sair de casa. E com uma ajudinha da irmã, to fazendo empadão pra vender. E faço um sucesso danado! Depois de alguns meses, já ofereço vários sabores e tamanhos. E como quero mais e mais, vivo testando novos sabores e novos prato. Pro inverno, terei novidades (só entrego num raio de 10 milhas, a quem interessar possa... rsrsrsrs).

Igreja

Outra grande dificuldade com a qual nos deparamos aqui, depois que os dirigentes da igreja que íamos desde que chegamos, fechou as portas, vendeu tudo que havia no templo e foi embora pro verão desejado da Florida (sim, muita gente que vive no inverno, sonha em morar no sul do país e curtir o clima brasileiro daquelas bandas). Ficamos sem congregar por mais de seis meses até que, recentemente e depois de muita procura, uma denominação que se encaixa na fé que professamos. Graças a Deus.

Novos textos

Agora que o computador chegou, vou voltar com força total pra minha rotina do brog. Talvez não com força total mesmo, porque tenho empadões pra fazer e Aurora pra cuidar, mas vou me esforçar pra estar sempre aqui. Inclusive, vou colocar algumas crônicas daqui... são textos que fiz sobre a vida aqui, e vou transcrever em postagens. Promessa é dívida.

5 comentários:

Emilly Albertassi disse...

Oba! Amo o Brog! Beijos da sua terceira (ou quarta) leitora que está com saudade.

Claudineia do Amaral Gabriel disse...

Quero receitas dos empadões.

Tatiana disse...

Oba! Que bom que voltou! Bjus

Bia Paixão disse...

Será que rola receita de empadão?? Hummm...

Vivia Barbosa disse...

Flávia só pessoas dinâmicas, corajosas vivem experiências como essas... a Vitória é só uma questão de tempo que Deus preparou pra vcs conquistarem tudo que se dispuseram a viver. E Aurora..hammm essa menina além de carregar no sangue seu sangue ela promete viu... ja ta vivendo desde bebê novas experiências que muita gente nem sonha viver. Manda a receita do empadão amiga...amo loucamente empadão.